Notícia

Regiao Prioriza Saneamento Ambiental

Região prioriza saneamento ambiental


No dia 29 de maio, no Country Club de Campo Belo, foi feito o lançamento do serviço de elaboração dos projetos executivos de saneamento ambiental de 52 municípios do entorno do lago de Furnas. O trabalho será coordenado pela ALAGO (Associação dos Municípios do Lago de Furnas) e realizado com recursos de Furnas Centrais Elétricas e Copasa-MG. Ministério das Cidades, Sedru (Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional e Política Urbana), CBH Furnas (Comitê de Bacia Hidrográfica do Entorno de Furnas), Prefeituras e FórumLago apoiam a elaboração, que será realizada pela empresa
Planex Planejamento Execução e Consultoria, de Belo Horizonte.
A reunião contou com a presença do ministro das Comunicações Hélio Costa (que também representou o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão), presidente de Furnas Carlos Nadalutti, secretário de Estado Dilzon Melo, diretor de Operações Sudoeste da Copasa Diego Andrade, representante do Governo Federal Ubirajara José Augusto, diretor-presidente da Planex Maurício Fernandes, presidente do Fórum Lago e professor da Unifenas Rogério Prado, diretores de Furnas, prefeitos, vereadores, secretários municipais e lideranças regionais e os deputados federais Odair Cunha, Reginaldo Lopes, Jaime Martins, Fernando Diniz, Mauro Lopes, e os estaduais Antônio Carlos Arantes, Domingos Sávio, Antônio Júlio.
O prefeito Romeu Tarcísio Cambraia, de Campo Belo, abriu o encontro e enfatizou a necessidade de tratamento de esgoto de todos os municípios da região, como forma de preservar o lago. “Precisamos principalmente tratar o esgoto, mas não temos recursos. Mas o presidente Lula e o governador Aécio Neves reconhecem isto. Daí os recursos para os projetos. Hoje Deus deve estar satisfeito, porque estamos ajudando a salvar não só o lago de Furnas, mas também o Estado de Minas Gerais, o Brasil e o planeta.”
O prefeito de Guapé e presidente de Alago, Nelson Lara, falou em seguida e explicou que o que estava sendo assinado naquele momento era o compromisso com todos os nossos parceiros de elaborar projetos executivos de tratamento de esgoto, destinação adequada de resíduos sólidos e drenagem pluvial urbana, que a Alago definiu como uma de suas prioridades desenvolver projetos de saneamento ambiental. Nós consideramos que todo o desenvolvimento que buscamos para a nossa região começa por projetos de infra-estrutura como este.”
Em seguida, o prefeito de Alfenas e presidente do CBH Furnas, Pompilio Canavez, disse que a realização dos projetos executivos é resultado de união dos prefeitos, que resultou em diversas parcerias com os Governos Federal e Estadual. “Os prefeitos estão dispostos a enfrentar um problema sério, que é a falta de tratamento de esgoto, de destinação adequada do lixo e drenagem urbana, porque se preocupam com a qualidade de vida do nosso povo”.
Diego Andrade, da Copasa, citou os investimentos da empresa na região, no valor de mais de R$ 300 milhões. Ele citou os projetos de Alfenas, Lavras e Pouso Alegre como exemplos e afirmou que a empresa tem recursos e várias formas de apoiar as Prefeituras interessadas em projetos de saneamento ambiental.
O representante da Presidência da República Ubirajara Augusto lembrou a retomada do Diálogo de Concertação em 2003 como ponto de partida para a priorização de obras de infra-estrutura, em especial de tratamento de esgoto para o desenvolvimento sustentável da região.
O secretário de Estado de Desenvolvimento Regional e Política Urbana, Dilzon Melo, elogiou os Governos Estadual e Federal, prefeitos e vereadores, “porque mesmo diante da crise, Minas exporta pioneirismo”. Ele lembrou que Estado é o primeiro do Brasil a estabelecer um consórcio para solucionar os problemas de saneamento.
O presidente de Furnas Carlos Nadalutti fez um retrospecto da atuação de Furnas na região nos últimos anos, sempre com a liberação de recursos financeiros. Foram R$ 400 mil para o diagnóstico de saneamento, em 2004; R$ 3,2 milhões para os Planos Diretores Participativos de 50 municípios, em 2006 e agora R$ 3,9 milhões para a elaboração de projetos de saneamento.
O ministro Hélio Costa reforçou os compromissos do Governo Federal com a região, enfatizando que os projetos executivos são um passo importante para a execução das obras, que podem chegar a R$ 500 milhões. “Sabemos a importância desses instrumentos, como os projetos executivos, para a região, pois há problemas ambientais a serem resolvidos.”
O ministro lembrou que o Governo Federal está liberando R$ 6 bilhões em obras em Minas Gerais. “Acredito que todos juntos vamos também conseguir os recursos para as obras no entorno do lago de Furnas. Temos de juntar nossas forças políticas.”

Prioridade
Em 2003 a ALAGO retomou o Diálogo de Concertação para o Desenvolvimento Sustentável do Lago de Furnas com o Ministério das Cidades e diversos órgãos dos Governos Federal e Estadual. Já naquela época, a solução de problemas ambientais, como não tratamento de esgoto, não existência de destinação adequada para lixo e falta de drenagem urbana foram apontadas como gargalos ao desenvolvimento da região.
Por isso, em 2004 foi realizado um completo diagnóstico de saneamento básico de 52 municípios do entorno do lago. Em 2006 foram elaborados os Planos Diretores Participativos desses municípios, sendo que estes problemas foram novamente apontados como prioridades na busca de soluções.
Agora em 2009 serão elaborados projetos executivos de tratamento de esgoto, destinação adequada de resíduo sólido e drenagem pluvial urbana. Ao final de 18 meses, quando eles estiverem prontos, prefeitos e lideranças vão buscar financiamento para a execução das obras.
O contrato assinado em Campo Belo tem valor de R$7.119.759,35. Serão principalmente projetos de tratamento de esgoto. Em cidades que já fazem tratamento, serão elaborados projetos para destinação adequada de resíduos sólidos. Onde estes projetos ou obras já existem serão elaborados projetos de drenagem pluvial urbana.

PARCEIROS